Sem categoria

Multidão prestigia segunda noite de apresentações da Paixão de Cristo

A segunda noite do espetáculo Paixão de Cristo 2024 foi, mais uma vez, de muita emoção. O Adro do Centro Cultural São Francisco ficou tomado pelo público nesta Sexta-Feira da Paixão (29) e encarou a chuva, prestigiando as duas sessões. Realizada pela Prefeitura de João Pessoa, através de sua Fundação Cultural (Funjope), a peça será reapresentada neste sábado (30) em duas sessões, às 18h e às 20h30.  

“Montar a Paixão de Cristo tem sido uma experiência encantadora porque a Funjope consegue mobilizar uma cena grandiosa do teatro de João Pessoa e da Paraíba, apresentando um espetáculo de beleza rara para os moradores de João Pessoa, para os turistas que nos visitam”, inicia o diretor executivo da Funjope, Marcus Alves.  

Ele ressaltou que a Funjope e a Prefeitura têm conseguido construir uma estrutura adequada e confortável para receber o público, que dá condições aos profissionais do teatro de desenvolverem o seu trabalho no Centro Cultural São Francisco. “De maneira que conseguimos contar uma história que tem uma vida longa, de mais de dois mil anos, renovando, em muitos aspectos, essa narrativa e, ao mesmo tempo, promovendo uma reflexão sobre o sentido da vida, a questão da relação entre fé e arte que permeia todo o espetáculo”, afirmou.  

Marcus Alves também parabenizou os envolvidos na realização da Paixão de Cristo. “Todos os atores, as atrizes estão de parabéns pela dedicação ao trabalho, assim como toda a equipe da Funjope. Nós criamos, na verdade, um modelo de Paixão de Cristo para a cidade de João Pessoa, uma marca da Fundação Cultural, da Prefeitura de João Pessoa, e vamos, a partir dessa experiência, sempre melhorar, evidentemente. Mas, conseguimos retomar de forma majestosa uma experiência que tinha sido acabada, anulada na cidade de João Pessoa que era a encenação da Paixão de Cristo, um grande espetáculo”, frisou.  

O maestro Rogério Borges, responsável pela direção musical da Paixão de Cristo, relatou como é feito o trabalho. “Tudo começa com o processo de escolha das músicas. Depois, fazemos os arranjos, vamos para o estúdio gravar e agora, a parte final, o resultado, que foi lindo. É muito bom ver o nosso trabalho, da Banda 5 de Agosto, reconhecido”, observou.  

Edilson Alves, diretor geral do espetáculo, também comemora. “A chuva atrapalhou um pouco, mas nem os atores e nem a plateia saíram do lugar. Então, é a química perfeita, sinal de que está dando certo”.  

O padre Marcondes Meneses, diretor do Centro Cultural São Francisco, aprovou a apresentação. “É um espetáculo muito emocionante, que marca a cidade de João Pessoa. É um evento que já entrou para o calendário turístico da Semana Santa. É muito emocionante reviver todo esse espaço da memória da Paixão de Jesus e não tem como não tocar o coração. Então, várias vezes durante o espetáculo, cai uma lágrima porque é muito emocionante. Os atores são fantásticos, interpretam com muita maestria. A Funjope, a Prefeitura, todos estão de parabéns”, afirmou.  

Público – O público foi preparado com capas e sombrinhas para não perder um só momento do espetáculo. “Achei muito emocionante, gostei bastante. A produção está muito bonita, enfim, tudo muito lindo. Gostei demais. Excelente”, resumiu o músico Eraldo Azevedo.  

A auxiliar de farmácia Ana Paula Almeida de Barros disse que gostou demais. “Me emocionei bastante. Fiquei tão empolgada que nem quis saber do guarda-chuva. Um espetáculo muito bem organizado. A Funjope está de parabéns”, ressaltou.  

A aposentada Maria Celina da Silva trabalhou durante 36 anos no Teatro Santa Roza e é apaixonada por teatro. “Conheço quase todo o elenco e me emocionei demais com esse espetáculo. A Funjope é a Funjope. Estão todos de parabéns”, comentou.  

A bancária Thayline Silva foi só elogios. “Este é o terceiro ano que venho assistir à Paixão de Cristo e, a cada ano que passa, fico mais surpresa com o espetáculo, feito com tanto carinho, organização. Os atores são maravilhosos e eu sempre me emociono. Por mais que a gente saiba o final da história, é sempre emocionante. Sempre que puder, vou continuar vindo”.  

“Um espetáculo simplesmente maravilhoso e muito bonito. Os atores trabalham bem demais. É muito importante que a cultura seja sempre assim, acessível para todos”, pontuou a aposentada Maria Edione Camilo Mercês.  

“É um espetáculo muito bonito. Aqui podemos ver o talento dos artistas paraibanos, dos artistas convidados. Todo ano estou aqui com a minha família para apreciar a cultura e a arte. É também um momento reflexivo da Páscoa, a Paixão de Cristo, essa história que sempre é contada e sempre toca nossos corações”, avaliou a pedagoga Ana Amélia Apolinário.  

A líder de equipes Albanísia Santos foi pela primeira vez assistir ao espetáculo. “Eu me surpreendi. Não sou muito religiosa, mas esse espetáculo está muito bem trabalho e bonito de se ver. Atrai qualquer tipo de público, principalmente quem é cristão, mas está tão bem feito que qualquer pessoa que vier vai gostar bastante”, afirmou.  

Integração – A Funjope trabalha de maneira integrada num espetáculo grandioso como a Paixão de Cristo, reunindo desde as secretarias municipais como a de Infraestrutura (Seinfra), Desenvolvimento Urbano (Sedurb), Emlur na limpeza urbana, Guarda Municipal, até outros órgãos, como a Polícia Militar.  

Elenco – Os atores selecionados em edital são Alexandra Oliveira, Alex Lessa, Anna Raquel Apolinário, Bruno Constantino, Denis Almeida, Edvan Lima, Estéfane Dantas, Gigliolla Melo, Gilma Farias, Riquê Casttilho, Ingrid Trigueiro, Itamira Barbosa, Papa Macedo, Jô Carvalho, Jorge Félix, Tony Silva, Josemberg Pereira, Cely Farias, Ludmila Patriota, Flávio Melo, Melânia Silveira, Marcelo de Sousa, Márcio de Paula, Marcos Brandão.  

Nessa lista estão ainda Miguel Reberth, Neiry Karla, Nyka Barros, Railson Almeida, Robert Sodré, Robson Oliver, Sérgio Nazza, Sofia Roque, Sônia Pontes, Dadá Venceslau, Hugo Lucena, Vlad Santiago, Wallace Avellar, Walter Olivério, Aquiles Nud.  

Programação – A história de Jesus será novamente encenada neste sábado (30), em duas sessões, às 18h e 20h30. A expectativa é reunir um público de 10 mil pessoas em cada apresentação.