Sem categoria

Parque Solon de Lucena é opção de lazer e diversão durante feriadão da Semana Santa

Neste feriadão de Semana Santa, o Parque Solon de Lucena, no Centro de João Pessoa, é uma excelente opção de lazer para turistas e também para os pessoenses. O parque é um dos mais importantes cartões postais da cidade e um espaço público bonito e agradável que dispõe de ambientes para a prática de esportes, playground para a criançada, piquenique ou simplesmente um espaço para contemplação para quem busca um lugar tranquilo e ventilado para enfrentar o calorão do dia a dia.  

O parque chama atenção pela sua beleza natural, com canteiros floridos e várias espécies de árvores do bioma da Mata Atlântica, como ipês, pau-brasil, acácias, além de um extenso bambuzal. No centro do parque, um grande espelho d’água circular cercado por palmeiras-imperiais.  

Os turistas e a população local também podem contar com opções de lojas, restaurantes e supermercados, bem próximos ao parque, além de opção de transporte coletivo para, praticamente, todos os bairros da Capital.  

O parque é uma delícia e tem opção para jovens, adultos, idosos e crianças. Possui uma área no entorno da Lagoa, onde é possível praticar esportes como caminhada, ciclismo e corrida. Tem, ainda, o pedalinho, a pista de skate, amplos espaços para piqueniques e parques de madeiras com balanço e casinhas para as crianças. Na área do parque, a Prefeitura de João Pessoa instalou um posto da Guarda Civil Metropolitana para garantir a tranquilidade dos visitantes.    

O Parque Solon de Lucena tem mais de 500 árvores e mais de 180 palmeiras, catalogadas e monitoradas pelos técnicos da Diretoria de Controle Ambiental e Diretoria de Estudos e Pesquisas da Secretaria de Meio Ambiente (Semam). Também é um local utilizado para a realização de movimentos sociais, eventos culturais, esportivos, campanhas educativas e de saúde.  

História – No início do século XX, o local era um pântano conhecido como ‘Lagoa dos Irerês’, em virtude do grande número de marrecos que buscavam suas águas para procriar e se alimentar. Na época, a lagoa era parte de um sítio de propriedade dos jesuítas franciscanos e, posteriormente, palco do ‘Engenho da Lagoa’. Foi durante a administração do governador Solon de Lucena, por volta de 1922, que a lagoa foi transformada em parque público. Daí, surgiu à denominação de Parque Solon de Lucena, em homenagem ao governador da época.  

Na década de 40, Roberto Burle Marx, célebre paisagista brasileiro, participou das obras e da criação de um conjunto paisagístico, verdadeiro encanto para os visitantes até hoje. Os canteiros têm várias espécies de árvores do bioma da Mata Atlântica, destaque para os ipês-amarelos, que são atração à parte com suas tradicionais floradas entre os meses de setembro e novembro de cada ano.  

Em 1980, o Parque Solon de Lucena foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba (Iphaep) por sua beleza e importância histórica.