Novidades do Vale do São Francisco: Conheça a Vinícola Mandacaru – Jornal Correio

Se já tem mais de um ano que você bebeu um vinho do Vale do São Francisco, está na hora de reabastecer a geladeira ou a adega. Nos últimos doze meses, novos projetos surgiram e vinícolas da região vêm lançando novos rótulos, com diferentes estilos e estágios de maturação. Tem desde frisante em latinha por R$ 10, espumantes maturados e rótulos que homenageiam os personagens e animais da caatinga. Confira as novidades a seguir. 

Entre os cactos e vinhedos espalhados no Distrito de Vermelhos, em Lagoa Grande (PE), está a Vinícola Mandacaru. Pertencente ao Grupo São Braz, do Ceará; a Mandacaru fica no mesmo território onde há alguns anos foi fundada a Château Ducos, que pode ter sido a primeira empresa a plantar a uva Petit Verdot no Brasil. 

Com as uvas deste terreno e de videiras da São Braz Vinícola em Petrolina (PE), a empresa vem elaborando na última década diversas bebidas no Vale do São Francisco; entre coquetéis de vinho, sucos e a linha Vale das Videiras, com vinhos de mesa vendidos a R$ 12. 

(Foto: Divulgação)

O Vale das Videiras Tinto é elaborado com as uvas Isabel, Magna e Violeta; enquanto o branco é feito com Moscato Itália, uma uva fina. Há versões secas e suaves que podem ser encontradas nos mais diversos mercados e empórios do Nordeste. 

Há cerca de quatro anos foi iniciada a plantação de variedades finas em território lagoa-grandense e agora a empresa se prepara para lançar no mercado a linha Cereus Jamacaru. O nome é uma referência direta ao nome científico da cactácea que nomeia a empresa. 

São três rótulos de entrada e que já são vendidos na vinícola a R$ 25 cada: Cereus Jamacaru Chenin Blanc Viognier, com 50% de cada uva, fresco com aromas de pêra e flores brancas; Cereus Jamacaru Syrah Rosé, de coloração rosa salmão e aromas que remetem a pêssego e frutas vermelhas; e o varietal de Cereus Jamacaru Syrah Tinto, com aromas de frutas negras e pimenta preta.

“Através dessa linha expressamos o nosso terroir e homenageamos todos os personagens e símbolos que compõem o cenário do sertão nordestino: o Chico, trabalhador rural representado no rótulo do tinto; a Maria, representando as mulheres profissionais do mundo do vinho no rótulo do rosé; e Ismael, na etiqueta do vinho branco, representando os entusiastas do vinho, o sol e os cactos”, explica a diretora administrativa do Grupo São Braz e idealizadora da marca, Maria Braz.

Hoje a Mandacaru também tem plantadas em Lagoa Grande as uvas Moscato Canelli (branca) e as tintas Petit Verdot, Cabernet Sauvignon, Touriga Nacional e Malbec. São, ao todo, 20 hectares; dos quais 15 são de uvas de mesa. A vinícola produz, ao ano, 600 mil litros de suco, 400 mil litros de vinho de mesa e 50 mil litros de vinhos finos.  

(Foto: Divulgação)

O lançamento do Cereus Jamacaru é o primeiro passo em direção a um projeto mais audacioso. “Nosso grupo possui a visão de unificar as estruturas para um complexo vitivinícola em Petrolina, com a elaboração de vinhos finos democráticos e com alto padrão de produção, valorizando o mercado econômico e social local”, complementa Maria.

Para mais detalhes sobre os vinhos e enoturismo, acesse https://saobrazbebidas.com.br/o-grupo/. O enoturismo pode ser visto neste vídeo.

Leia mais:Novidades do Vale do São Francisco: A nova cara da Vinícola Rio SolNovidades do Vale do São Francisco: Conheça a Vitivinícola Tropical  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *